Les Chants

Abalou capoeira, abalou

Ai, ai, ai, ai (São Bento me chama)

Abalou capoeira, abalou

Mas se abalou deixa abalar

Abalou capoeira, abalou

Mas se abalou deixa cair

Ai, ai, ai, ai

São Bento me chama

Ai, ai, ai, ai

São Bento me leva

Ai, ai, ai, ai

São Bento me prenda

Ai, ai, ai, ai

São Bento me solta

Ai, ai, ai, ai

 

Ai ai ai ai doutor

Folha seca

Ai ai ai ai doutor

General foi pro mar, eu também vou

Ai ai ai ai doutor

Na onda do mar eu também vou

Ai ai ai ai doutor

Velejando no mar eu também vou

Ai ai ai ai doutor

 

Eu pisei na folha seca

Eu vim fazer chuê chuà

Chuê chuê chuê chuà

Eu vim fazer chué chuà

Chuê chuê chuê chuà

Eu vim fazer chué chuà

Chuê chuê chuê chuà

 

Axé Bahia

Adeus, Adeus

Que bom

Eu estar com vocês

Aqui nessa roda

Com este conjunto

Bahia axé, axé Bahia

Bahia axé, axé Bahia

Io, ioioioioo

Ioioioioo

Ioioioio

Io, ioioioioo

Ioioioioo

Ioioioio

O vento

Que sopra tão lindo

No alto dos coqueirais

Isso é de mais

Io, ioioioioo

Ioioioioo

Ioioioio

Io, ioioioioo

Ioioioioo

Ioioioio

Bahia axé, axé Bahia

Bahia axé, axé Bahia

Adeus adeus

Boa viagem

Eu vou me embora

Boa viagem

Eu vou com deus

Boa viagem

E com nossa senhora

Boa viagem

Eu vou, eu vou

Boa viagem

Pois chegou a hora

Boa viagem

Capoeira Brasil

Capoeira é da nossa cor

O pé passou e o muleque não viu

O pé passou e o muleque não viu

Isso aqui é capoeira,

é capoeira brasil

Isso aqui é capoeira,

é capoeira brasil

E capoeira brasil, é capoeira brasil

E capoeira brasil, é capoeira brasil

E capoeira brasil

E capoeira brasil

Au ê, au ê, au ê ê

E lê lê lê lê lê lê lê lê o

Au ê, au ê, au ê ê

E lê lê lê lê lê lê lê lê o

E no sangue da raça brasileira

Capoeira,

E da nossa cor

Atabaque

E da nossa cor

Berimbau

E da nossa cor

O pandeiro

E da nossa cor

 

Meu berimbau toque assim

Camugerê

Quem é você quem vem de là

Quem é você quem vem de là

Eu sou da Bahia, vou me apresentar

Eu sou da Bahia, vou me apresentar

A cabaça, o arame, caxixi, um pedaço de pau

Meu berimbau toque assim

Meu berimbau toque assim

Tchin tchin tchin toi toi, tchin tchin tchin toi tin

Meu berimbau toque assim

Tin tin tin tin tin tin tin tin tin toi

Meu berimbau toque assim

 

 

Camugerê, como tà como tà

Camugerê

Como vai como vai

Camugerê

Eu vou bem de saùde

Camugerê

Vim aqui pra lhe ver

Camugerê

 

Gunga é meu

Roda boa

Gunga é meu, gunga é meu

Gunga é meu, meu avô quem me deu

Gunga é meu, gunga é meu

Gunga é meu, eu não vendo, eu não dou

Gunga é meu, gunga é meu

Gunga é meu, é meu, é meu

Gunga é meu, gunga é meu

A roda é boa, a roda é boa

Là no Rio, a roda é boa

A roda é boa, a roda é boa

E em São Paulo a roda é boa

A roda é boa, a roda é boa

Là no Mestre a roda é boa

A roda é boa, a roda é boa

E no Brasil a roda é boa

A roda é boa, a roda é boa

 

E defesa ataque

E legal, é legal

Capoeira, é defesa, ataque

a ginga de corpo e a malandragem, Capoeira

é defesa, ataque

é ginga de corpo é malandragem

 

São Fransisco Nunes

Preto Velho meu avô

Ensinou para o meu pai

Mas meu pai não me ensinou, Capoeira

 

é defesa, ataque

é ginga de corpo é malandragem

 

O Maculelê

é a dança do pau

Na roda de Capoeira

é no toque do berimbau, Capoeira

 

é defesa, ataque

é ginga de corpo e a malandragem

 

Eu já tive em Moçambique

Eu já tive em Guinè

Tô voltando de Angola

Com o jogo de Malè, Capoeira

 

é defesa, ataque

é ginga de corpo e a malandragem

 

Se você quer aprender

Vai ter que praticar

Mas na roda de Capoeira

É gostoso de jogar, Capoeira

 

é defesa, ataque

é ginga de corpo e a malandragem

E legal, é legal

Jogar capoeira é um negocio legal

E legal, é legal

Oi tocar berimbau é um negocio legal

E legal, é legal

Tocar o pandeiro é um negocio legal

E legal, é legal

O som da Bahia é um negocio legal

E legal, é legal

Jogar capoeira e tocar berimbau

E legal, é legal

Oi tocar berimbau é um negocio legal

E legal, é legal

 

Sinha

Paranà ê

Sinha,

Vou jogar capoeira

Là na ribeira

Là em maré

Eu falei pra sinha

Vou jogar capoeira

Eu falei pra sinha

Là no Abaete

Onde a luz das candeias, vai iluminar os caminhos da fé

Eu falei pra Sinha…

Sinha,

Vou jogar capoeira

Là na ribeira

Là em maré

Eu falei pra sinha

Vou jogar capoeira

Eu falei pra sinha

Là no Abaete

Onde a luz das candeias, vai iluminar os caminhos da fé

Sinha mora na casa grande

Tem tudo que ela quiser

Foi passear na Senzala

La aprendeu a jogar

A mandinga de Angola

O jogo de Regional

Se encantou com a dança

E aprendeu a jogar

Eu falei pra Sinha…

Sinha,

Vou jogar capoeira

Là na ribeira

Là em maré

Eu falei pra sinha

Vou jogar capoeira

Eu falei pra sinha

Là no Abaete

Onde a luz das candeias, vai iluminar os caminhos da fé

 

Vou dizer minha mulher, Paranà

Capoeira me venceu, Paranà

Paranà ê, Paranà ê, Paranà

Ela quis bater pé firme, Paranà

Isso nunca aconteceu, Paranà

Paranà ê, Paranà ê, Paranà

Assim dera que o morro, Paranà

Se mudou para a cidade, Paranà

Paranà ê, Paranà ê, Paranà

Menina pra ser bonita, Paranà

Não precisa se pintar, Paranà

Paranà ê, Paranà ê, Paranà

Vou  membora pra Bahia, Paranà

Eu aqui não fico não, Paranà

Paranà ê, Paranà ê, Paranà

 

Quem vem là, sou eu

Acende o candieiro

Quem vem là sou eu

Quem vem là sou eu

Berimbau mais eu

Capoeira sou eu

Quem vem là sou eu

Quem vem là sou eu

Berimbau mais eu

Capoeira sou eu

Eu venho de longe

Venho de Itabuna

Jogo capoeira

Meu nome é Suassuna

Quem vem là sou eu

Quem vem là sou eu

Berimbau mais eu

Capoeira sou eu

Là vem a cavalaria

Da princesa Teodora

Cada cavalo uma cela

Cada cela uma senhora

Quem vem là sou eu

Quem vem là sou eu

Berimbau mais eu

Capoeira sou eu

Sou eu, sou eu

Quem vem là ?

Mas sou eu brevenuto

Quem vem là ?

Venho montando um cavalo

Quem vem là ?

Venho fumando charuto

Quem vem là ?

Mas sou eu, sou eu

Quem vem là ?

 

Iaiá, acende o candieiro, iaiá

Só a luz ofuscante da candeia

E o clarão da lua cheia

É o que faz o terreiro clarear

Oh Iaiá

 

coro : Iaiá, oh Iaiá Acende o candieiro, iaiá

Só a luz ofuscante da candeia

E o clarão da lua cheia

É o que faz o terreiro clarear

 

Hoje tem festa,

no Quilombo dos Palmares

Já se ouve pelos ares

O som estridente do tambor

Ô Ioiô, no rabo de arraia, certeiro

No jogo de Angola, rasteiro

No bote da cobra coral

Com a ligereiza dos raios

Destreza fundamental

Quem paga o pato é o capitão do mato

Na luta do bem contra mal

Oh Iaiá

 

coro : Iaiá, oh Iaiá

 

Oh a balança na barra da saia

Levanta, sacode a poeira do chão

Oh abre a roda que agora o pau vai comer

No samba duro angolano

na ginga do maculelê

coro : Oh abre a roda que agora o pau vai comer

No samba duro angolano

na ginga do maculelê

 

 

Ô quem tem sangue do quilombola não cai

Finge que vai, mas não vai

Risca seu nome no vento

Rei Gangazumba vem dar inicio ao festejo

Sua voz é um lampejo

Que comanda o ritual.

O seu lamento

era um grito de guerra

Que escoava sobre a terrra

Formando um Quilombo immortal

Oh Iaiá

 

coro : Iaiá, oh Iaiá Acende o candieiro, iaiá

Só a luz ofuscante da candeia

E o clarão da lua cheia

É o que faz o terreiro clarear

Luanda ê

Sim, sim, sim, não, não, não

Luanda é meu boi

E Luanda é Parà

Tereza samba deitada

Idalina samba de pé

E là no cais da Bahia

Na roda de capoeira

Não tem lelê, não tem nada

Não tem lelê nem lala

O laê laê la

O lê lê

O laê laê la

O lê lê

 

Oi sim sim sim

Oi não não não

Oi sim sim sim

Oi não não não

Mas hoje tem amanhã não

Mas hoje tem amanhã não

Oi sim sim sim

Oi não não não

Mas hoje tem amanhã não

Olha  a pisada de Lampião

Oi sim sim sim

Oi não não não

 

Leva morena me leva

A manteiga derramou

Leva morena me leva, me leva pro seu bangalo

Oi leva morena, me leva, que hoje faz frio, amanhã faz calor

Leva morena me leva, me leva pro seu bangalo

Oi me leva morena, me leva que sou capoeira jà disse que sou

Leva morena me leva, me leva pro seu bangalo

Oi me leva morena, me leva pro baixo do seu cobertor

Leva morena me leva, me leva pro seu bangalo

 

Vou dizer a meu sinho

Que a manteiga derramou

Vou dizer a meu sinho

Que a manteiga derramou

A manteiga não é minha

A manteiga é de Ioio

Vou dizer a meu sinho

Que a manteiga derramou

A manteiga é de Ioio

Caiu na agua e se molhou

Vou dizer a meu sinho

Que a manteiga derramou

A manteiga é do patrão

Caiu no chão e derramou

Vou dizer a meu sinho

Que a manteiga derramou

 

Marinheiro sou

Eu não sou daqui

Marinheiro sou

Eu não tenho amor

Marinheiro sou

Eu sou da Bahia

Marinheiro sou

De São Salvador

Marinheiro sou

O marinheiro marinheiro

Marinheiro sou

Quem te ensinoua nadar

Marinheiro sou

Ou foi o tombo do navio

Marinheiro sou

Ou foi o balanço do mar

Marinheiro sou

Là vem, là vem

Marinheiro sou

 

 

Onde vai caimã ?

Dona Maria como vai você ?

Onde vai caimã, caimã, caimã

Onde vai caimã ?

Vai pra ilha de Maré

Onde vai caimã ?

Ladeira do Pelourinho

Onde vai caimã ?

Lagoa do Abaete

Onde vai caimã ?

 

Vai você, vai você

Dona Maria como vai você ?

Eu vou bem, obrigado, é pra mim um prazer

Dona Maria como vai você ?

Joga bonito que eu quero ver

Dona Maria como vai você ?

E se é Regional é pra mim um prazer

Dona Maria como vai você ?

 

Bamba na Capoeira

Iaia, Ioio

Cabra valente  é bamba na capoeira
É bamba na capoeira é bamba na capoeira
Cabra valente bamba na capoeira
É bamba na capoeira é bamba na capoeira

Negô caiu na alegria do tombo
É na alegria do tombo é na alegria do tombo
Negô caiu na alegria do tombo
É na alegria do tombo é na alegria do tombo

Tombo da ladeira
Banda de capoeira
Meìa lua e rasteira
Banda de capoeira
Olha o aú bananeira
Banda de capoeira
A cabeçada ligeira
Banda de capoeira
A regional mandingueira
Banda de capoeira
Quando o meu mestre se foi
Toda a Bahia chorou
Iaia ioio
Iaia ioio iaia ioio (coro)
Oi menino com quem tu aprendeu? (2x)
Aprendeu a jogar capoeira aprendeu
Quem me ensinou já morreu (2x)
O seu nome esta gravado
Na terra onde ele nasceu
Salve o mestre Bimba
A Bahia de Maré
Salve o mestre que me ensinou
A mandinga de bater com o pé
Iaia ioio
Iaia ioio iaia ioio (coro)
Mandingueiro
Venho de Malé Bolência
Era ligeiro o meu mestre
Que jogava conforme a cadência
No bater do berimbau
Salve o mestre Bimba
Criador da regional
Salve o mestre Bimba
Iaia ioio
Iaia ioio iaia ioio (coro)
Aprendeu meia-lua aprendeu
Oi martelo, rabo-de-arraia
Jogava no pé da ladeira
Muitas vezes na beira da praia
Salve São Salvador
A Bahia de Maré
Salve o mestre que me ensinou
A mandinga de bater com o pé
Iaia ioio
Iaia ioio iaia ioio (coro)
Quando meu mestre se foi
Toda a Bahia chorou
Iaia ioio
Iaia ioio iaia ioio (coro)

Hoje tem capoeira

Avisa meu mano

Olha pega a beriba e começa a tocar
Pandeiro, atabaque não pode faltar
No jogo ligeiro que lá na Bahia
Aprendi a jogar
Meia-lua, rasteira, martelo e pisão
Solta a mandinga conforme a razão
Na reza cantada pede proteção
E hoje tem capoeira
No toque da viola chega pra roda
E vamos jogar

O meu mestre foi Bimba
Negro mandingueiro com quem esta arte
Aprendi a jogar
Já joguei na ribeira
No pé da ladeira na beira do mar
Pula daqui, joga pra lá
Discípulo de Bimba
Chegou pra jogar
E hoje tem capoeira
No toque da viola chega pra roda
E vamos jogar

Olha pega a beriba e começa a tocar
Pandeiro, atabaque não pode faltar
No jogo ligeiro que lá na Bahia
Aprendi a jogar
E hoje tem capoeira
No toque da viola chega pra roda
E vamos jogar
Avisa meu mano, avisa meu mano, avisa meu mano, capoeira mandou me chamar

Avisa meu mano, avisa meu mano, avisa meu mano, capoeira mandou me chamar

Capoeira é luta nossa, da era colonial, e nasceu foi na Bahia, angola e regional ê

Avisa meu mano, avisa meu mano, avisa meu mano, capoeira mandou me chamar

 

 

 

Laisser un commentaire

Votre adresse de messagerie ne sera pas publiée.